lgo hiléia alta [135]
Pesquisar
Close this search box.
restricao alimentar

Restrição alimentar: como lidar com a situação

Dicas
20 de dezembro de 2022

Segundo a Organização das Nações Unidas, 60 milhões de pessoas enfrentam algum tipo de restrição alimentar no mundo.

A restrição alimentar acontece quando uma pessoa não pode ingerir algum tipo de ingrediente ou alimento, pois isso traz sérios prejuízos para a sua saúde.

Assim, pessoas que enfrentam algum tipo de restrição alimentar precisam excluir totalmente aquele alimento (como glúten, leite de vaca, lactose, entre outros) de sua dieta. Além disso, em alguns casos, faz-se necessária a introdução de algum medicamento.

Ter uma restrição alimentar costuma ser difícil, visto que é preciso adaptar a rotina para excluir aquele determinado alimento. Sem contar que a maioria dos eventos sociais conta com alimentos e bebidas, então, é preciso ter uma atenção redobrada para não prejudicar a saúde nesses ambientes.

Vamos aprender algumas dicas para lidar com a restrição alimentar na família? Continue conosco!

 

Siga as orientações do seu médico

O primeiro passo é entender mais sobre a restrição alimentar, fazer os exames necessários e seguir todas as recomendações médicas. Afinal, o acompanhamento de um profissional da saúde é fundamental para que a pessoa tenha mais qualidade de vida e bem-estar.

Além do médico especialista na doença (como gastroenterologista), é importante agendar consultas regulares com um nutricionista ou nutrólogo. Isso porque, esses profissionais serão responsáveis por elaborar uma dieta personalizada para cada caso.

 

Estude sobre a restrição alimentar

Outro passo importante para lidar com a restrição alimentar é pesquisar muito (mas MUITO) sobre o assunto. Portanto, busque artigos científicos e portais médicos que falem sobre o tema.

Afinal, o conhecimento será a sua maior ferramenta para conduzir o seu dia a dia (ou o do seu familiar com uma restrição). Além disso, é uma maneira para se manter informado sobre as inovações e os avanços tecnológicos na área.

 

Redobre a atenção na hora de realizar as compras

Ler os rótulos se tornará uma rotina para quem tem algum tipo de restrição alimentar. Por isso, é preciso ir com mais tempo ao supermercado, visto que, infelizmente, a maioria dos rótulos de alimentos ainda não tem informações muito claras sobre os ingredientes.

Afinal, a maioria dos rótulos vem com informações minúsculas, então, caso você precise conferir um determinado ingrediente, levará mais tempo. 

Além disso, é de suma importância estar sempre atento à composição alimentar nos rótulos, principalmente dos alimentos industrializados. Assim, em caso de dúvidas, não compre e não consuma aquele alimento.

 

Oriente os professores, pais e colegas

Se você tem um filho com alguma restrição alimentar, reserve um tempo para ir até à escola e conversar com os pais, professores e colegas. Além disso, esteja sempre presente nas reuniões escolares, pois essa será mais uma oportunidade para reforçar a atenção com o seu filho.

Sabemos que o ingresso escolar é uma grande preocupação, visto que a criança e o adolescente estarão em contato diário com novos alimentos. Assim, é importante que eles não se sintam isolados e aprendam a cuidar bem da sua alimentação.

Também é importante manter um contato ativo com a escola, para que os professores sempre se recordem da restrição e possam ajudar. 

Por exemplo, quando há uma festinha de aniversário, os professores precisam avisar os pais da criança com restrição com antecedência — para que eles possam providenciar lanches especiais para que a criança se sinta acolhida e possa socializar.

 

Converse com os restaurantes antes de ir

Se você tem algum evento social ou quer ir a um restaurante, ligue e se informe se haverá alimentação especial. Caso contrário, leve a sua marmita. Nesse caso, o importante é não se privar dos eventos sociais e passeios, pois eles são importantes para a nossa vida social.

Então, uma pessoa com restrição alimentar deve sempre se precaver e não ter receio ou vergonha de ligar e conversar com os donos do estabelecimento para ter a certeza de que ele poderá (ou não) se alimentar naquele ambiente.

Vale ressaltar que, mesmo que você tenha uma restrição, é importante não se privar desses momentos de lazer. Assim, é necessário ter cuidado redobrado com a sua alimentação, porém, não deixar de comparecer aos eventos e socializar.

 

Tenha sempre um lanche na bolsa

Para evitar passar fome e sufoco nas saídas de casa, é importante sempre ter um lanche rápido na bolsa. Aliás, a maioria das pessoas com restrição alimentar já tem a sua “marmita” e a carrega para diversos lugares — e isso é ótimo.

Assim, é uma maneira para evitar passar sufoco caso surja algum imprevisto e você precise ficar mais tempo fora de casa. Lanches rápidos como biscoitos, barra de cereal e frutas são algumas alternativas.

 

Busque uma rede de apoio

Conversar com outras pessoas que também passam pelo que você está passando é essencial para se sentir acolhido. Por isso, busque uma rede de apoio para trocar experiências, pois isso é muito importante para o seu tratamento.

Afinal, conversar com pessoas que já passaram ou estão enfrentando o mesmo problema é uma ótima ideia para entender mais sobre as restrições e, até mesmo, encontrar novos produtos, tendências e novos restaurantes para conhecer.

Você gostou de aprender um pouco mais sobre como lidar com a restrição alimentar?

Se sim, aproveite e continue acompanhando mais matérias como esta no nosso blog, a Revista Hiléia.