lgo hiléia alta [135]
Pesquisar
Close this search box.
Mercadinho de bairro

Mercadinho de bairro: como ter um negócio de sucesso?

Gestão
26 de fevereiro de 2024

A ideia de montar um mercadinho de bairro faz muito sentido. Afinal, todo mundo já frequentou um desses lugares, que costuma ser muito prático e fica próximo de casa ou do caminho. Do lado de quem empreende, a pergunta é: como ter sucesso com a ideia?

Mesmo com um tamanho reduzido, esse estabelecimento pode ser muito lucrativo. Especialmente, quando se considera a pouca concorrência e proximidade com as residências da região. São várias demandas possíveis, como as compras emergenciais.

Imagine alguém que precise terminar uma receita e está faltando um ou dois ingredientes. É muito melhor ir até o mercadinho para comprá-los do que pedir no delivery ou ir até o atacadista. E esse é apenas um dos exemplos de que existe mercado a ser explorado.

Há alguns anos, uma pesquisa chamou a atenção. Sabia que 46% dos consumidores brasileiros frequentam os mercados de bairro todos os dias? O levantamento foi um marco importante para comprovar que há uma demanda crescente pelos mercados de bairro.

Sendo assim, se você também pensou nessa ideia de negócio para empreender, continue lendo porque este blog foi feito para você. Trouxemos ótimas dicas para ter sucesso com o empreendimento – seja o que está no papel ou aquele com as portas abertas.

Como ter um mercadinho de bairro de sucesso?

Com base em outra pesquisa, agora mais científica e feita por estudantes do IFMG (Instituto Federal de Minas Gerais), há fatores que mais influenciam no processo de decisão de compra em mercadinho de bairro. São eles:

  • Comodidade pela proximidade com as residências;
  • Prazos para pagamento;
  • Bom atendimento.

Percebeu-se que além da comodidade, a atenção e amizade com os donos dos mercados, como relatado pelos clientes, também é um fator importante para tal decisão”, afirmam os pesquisadores responsáveis. 

Outra conclusão foi: “focar na conveniência, na disponibilidade do produto e investir em relacionamentos são diferenciais para os pequenos empreendimentos do mercado”.

A partir dessas informações, veja alguns detalhes desses fatores que podem ser vistos como diferenciais para alcançar os melhores resultados no seu estabelecimento comercial!

Personalização da entrega para demanda

Existem várias estratégias para entregar a melhor experiência para o seu público. Reconhecer a demanda é o primeiro passo. Assim como encontrar fornecedores confiáveis para ter um estoque disponível e produtos de qualidade.

Aliás, falando nisso, saiba que comprar diretamente de fábrica pode ser interessante. Ponto que ganha relevância quando se considera a economia na compra (margem de lucro), assim como a abertura para negociar prazos de pagamento – veja no tópico a seguir.

A Hiléia é uma fabricante que estimula os pequenos empreendedores a acreditar no sonho do mercadinho de bairro. Com uma história que vem desde 1964, oferecemos achocolatados, biscoitos, bolos, massas, snacks e sopão. Veja o catálogo completo:

Solicite um orçamento dos produtos Hiléia: acesse e fale com a gente!

É indicado ter uma lista do que vender na sua mercearia ou mercado. Os alimentos básicos são os que têm mais vendas porque são usados no dia a dia. Por exemplo, o macarrão, que pode ser usado em diversas situações, da refeição rápida ao almoço de família no domingo.

Mas, também há outros segmentos a serem analisados individualmente. Por exemplo, padaria, açougue, hortifrúti, limpeza, higiene pessoal, bebidas, frios e congelados. Eles também podem apresentar um ótimo catálogo de soluções para o público.

Abertura para prazos de pagamento

As promoções do estabelecimento também entram na lista de dicas. Note que, em muitos casos, oferecer condições de pagamento diferenciadas pode ser ainda mais relevante. É a possibilidade de parcelar a compra, especialmente em datas comemorativas.

Isso porque o Natal, a Páscoa e tantas outras, indicam um momento oportuno para vendas. Só que nem todo consumidor tem o valor disponível para aquele momento. Assim, descobrir nuances de cada demanda, como do prazo de pagamento estendido, faz muito sentido.

Além disso, as formas para pagar também importam, do PIX ao vale-alimentação. Se você não acredita nisso, saiba que estudos já mostraram que mais da metade do público desistiria de uma compra se não tivesse a forma de pagamento que queria.

Portanto, considere estudar o seu mercado. Em determinadas situações, oferecer um checkout mais moderno, assim como aqueles caderninhos de ofertas do dia, pode ser o seu melhor marketing para quem está tão perto de você.

Foco no bom atendimento ao cliente

A excelência no atendimento diz muito sobre o sucesso de qualquer negócio. Ainda que os produtos sejam de qualidade e a preços competitivos, se o atendimento for ruim, pode fazer resultados não tão promissores.

Várias pesquisas já comprovaram isso. Como uma que diz que 70% das pessoas não voltam a comprar em um lugar após uma experiência negativa. Por isso, definitivamente, o bom atendimento se faz necessário.

A contratação de colaboradores deve ser feita com muita inteligência. Essas pessoas terão contato direto com o cliente. A forma com que elas apresentam a sua marca é importante, assim como as habilidades em solucionar problemas do dia a dia e organizar as gôndolas.

Outro detalhe tem a ver com os relacionamentos genuínos com os donos de mercadinhos de bairro. Eles são peças fundamentais nesse quebra-cabeça de sucesso. Logo, também fica a dica para apresentar-se como alguém que ajuda as pessoas com as demandas delas. 

A importância das tecnologias digitais

A importância das tecnologias digitais no mercadinho de bairro

Um dos desafios para empreender em um mercadinho de bairro é o de encontrar as melhores tecnologias, com os melhores custos-benefícios. O Mercado & Consumo diz que esses mercados só resistem aos varejistas quando investem em tecnologias.

Os dados foram coletados logo após a pandemia e mostrou que 92% dos consumidores disseram que continuariam com as compras nesses mercados. Uma das justificativas é que as varejistas não conseguem entregar o mesmo padrão de atendimento ao consumidor.

Da mesma forma, os autores da pesquisa concordaram que esse movimento acelerou a adoção das ferramentas digitais. De modo que fizesse com que tais negócios prosperassem, a partir de uma melhor competitividade no mercado. A exemplo disso:

  • 65% dos lojistas afirmaram que usam aplicativos de conversa;
  • 35% deles disseram que vão aumentar o uso das ferramentas digitais de venda.

Usando a mesma fonte, quando o pequeno mercado se torna digital, os lucros podem aumentar de 60% a 100%. Mas, desde que todo processo de implementação seja confiável e com soluções personalizadas para cada tipo de interesse.

Saiba mais sobre o mercadinho de bairro

Continue aprendendo sobre o mercado de alimentos. No nosso blog, periodicamente disponibilizamos conteúdos com dicas relevantes e informações atualizadas. Acesse aqui para ler.  Recentemente, falamos sobre como administrar um mercado com eficiência!

Além disso, o Sebrae fez uma cartilha bastante interessante sobre “minimercados no Brasil”. No documento traz pontos como o perfil dos minimercados no Brasil, o que inclui tamanho das lojas, quantidade de funcionários, setores e assim por diante.