lgo hiléia alta [135]
Pesquisar
Close this search box.
estilos alimentares

Estilos alimentares: quais são e como são definidos

Hábitos alimentares
13 de março de 2023

Você já ouviu falar nos diferentes estilos alimentares que existem? Eles são padrões de consumo alimentar que engloba não apenas os alimentos escolhidos para consumo, mas, também, como são preparados, combinados e consumidos. 

Então, esses padrões alimentares podem variar amplamente entre culturas, indivíduos e regiões geográficas.

Vale ressaltar que existem diversos estilos alimentares diferentes em todo o mundo. Assim, cada um tem suas próprias recomendações específicas sobre quais alimentos devem ser incluídos ou evitados, com base em preferências, crenças e evidências científicas sobre saúde, sustentabilidade e ética.

Vamos conhecer quais são os principais estilos alimentares? Continue conosco!

 

Dieta mediterrânea

Dieta mediterrânea

A dieta mediterrânea é um padrão alimentar tradicional que se originou nas regiões costeiras do Mediterrâneo, incluindo Grécia, Itália e Espanha. 

Assim, ela é caracterizada por um alto consumo de:

  • frutas;
  • vegetais;
  • grãos integrais;
  • legumes;
  • nozes;
  • sementes.

Além disso, há um consumo moderado de peixes e mariscos, aves e laticínios; e um limitado de carne vermelha e alimentos processados.

A dieta mediterrânea é considerada uma das mais saudáveis do mundo, devido ao seu alto teor de nutrientes, antioxidantes e ácidos graxos ômega-3.

Além dos alimentos, a dieta mediterrânea também enfatiza o prazer da alimentação e a importância de comer com a família e amigos, além de um estilo de vida ativo e equilibrado. 

 

Dieta vegetariana

Dieta vegetariana

A dieta vegetariana é um padrão alimentar que exclui o consumo de carne, aves, peixes e frutos do mar. 

No entanto, os vegetarianos podem incluir outros alimentos de origem animal em sua dieta, como laticínios, ovos e mel.

Existem vários tipos de dieta vegetariana, que diferem no grau de exclusão de alimentos de origem animal. Por exemplo:

  • ovo-lacto-vegetarianos: consomem laticínios e ovos, enquanto os veganos excluem todos os alimentos de origem animal;
  • pescetarianismo: permite o consumo de peixe e frutos do mar;
  • vegetarianismo flexível: permite o consumo ocasional de carne.

A dieta vegetariana pode ser saudável, desde que seja bem planejada para incluir todos os nutrientes necessários. 

Alimentos ricos em proteínas, como feijões, lentilhas, tofu e quinoa, podem ser incluídos na dieta para substituir a carne. 

Além disso, esse estilo alimentar é rico em fibras, vitaminas e minerais e isso ajuda a prevenir doenças crônicas, como cardíacas, diabetes e obesidade.

 

Estilos alimentares: dieta cetogênica

Dieta cetogênica

A dieta cetogênica (ou dieta keto) é um padrão alimentar que enfatiza o consumo de alimentos ricos em gorduras e limita o consumo de carboidratos.

Assim, a ideia é fazer com que o corpo entre em um estado de cetose, onde ele utiliza as gorduras como fonte de energia em vez dos carboidratos.

Na dieta cetogênica, a ingestão diária de carboidratos é geralmente limitada a cerca de 20 a 50 gramas por dia, o que representa uma redução significativa em relação à quantidade de carboidratos consumidos em uma alimentação “normal”.

Isso leva o corpo a produzir corpos cetônicos a partir das gorduras consumidas e armazenadas, que são utilizados como fonte de energia em vez da glicose.

Os alimentos permitidos na dieta cetogênica incluem:

  • carnes;
  • peixes;
  • ovos;
  • nozes;
  • sementes;
  • óleos saudáveis, como azeite de oliva, abacate e coco;
  • vegetais com baixo teor de carboidratos.

Portanto, alimentos ricos em carboidratos, como pão, massas, arroz e açúcar, devem ser limitados ou evitados.

No entanto, como a dieta cetogênica é muito restritiva em carboidratos, pode ser difícil de seguir e pode levar a deficiências nutricionais se não for bem planejada. 

Por isso, é importante buscar a orientação de um profissional de saúde antes de iniciar a dieta cetogênica.

 

Dieta paleolítica

Dieta paleolítica

A dieta paleolítica, também conhecida como dieta paleo, é um padrão alimentar que se baseia nos alimentos que nossos ancestrais pré-históricos teriam consumido antes do advento da agricultura e da produção dos industrializados. 

Assim, ela enfatiza o consumo de alimentos inteiros e minimamente processados, como carnes, peixes, ovos, frutas, verduras, raízes, nozes e sementes.

A dieta paleo exclui alimentos que não teriam sido consumidos pelos nossos ancestrais, incluindo grãos, leguminosas, laticínios, açúcar refinado, processados e óleos vegetais refinados. 

A ideia é que a alimentação moderna é a causa de muitas doenças crônicas, como diabetes, doenças cardíacas e obesidade, e que a dieta paleo pode ajudar a prevenir essas doenças.

Porém, assim como em qualquer estilo alimentar, é importante garantir a adequação nutricional e buscar a orientação de um profissional de saúde antes de iniciar a dieta paleo.

 

Dieta sem glúten

Dieta sem glúten

A dieta sem glúten é um padrão alimentar que exclui alimentos que contêm glúten, uma proteína encontrada em grãos como trigo, cevada e centeio. 

Assim, essa dieta é necessária para pessoas com doença celíaca — uma condição autoimune em que o consumo de glúten leva a danos no revestimento do intestino delgado. 

A dieta sem glúten também pode ser recomendada para pessoas com sensibilidade ao glúten ou alergia ao trigo.

Nessa dieta, são permitidos alimentos como carne, peixe, ovos, frutas, verduras, arroz, milho, quinoa e outros grãos sem glúten. 

Alimentos que contêm glúten, como pão, massas, bolos, biscoitos e cerveja, devem ser evitados — ou substituídos por versões “gluten free”.

Embora a dieta sem glúten seja essencial para portadores da doença celíaca, não há evidências científicas de que ela traga benefícios para pessoas que não têm sensibilidade ou alergia ao glúten. 

E aí, você gostou de conhecer um pouco mais sobre os diferentes estilos alimentares?

Aproveite e leia também: Restrição alimentar: como lidar com a situação?